Olimpíadas 2024: Intel quer eSports em próximos ciclos olímpicos – Canaltech

Parceira dos jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a Intel espera repetir a dose e trazer mais competições de esportes eletrônicos para os próximos ciclos olímpicos.

A marca promoveu, dias antes da abertura oficial das competições deste ano, campeonatos de Rocket League e Street Fighter 5 com apoio do Comitê Olímpico Internacional (COI). O evento, chamado de Intel World Open, mostrou alguns dos melhores jogadores dessas modalidades e ajudou a manter viva a esperança de quem ainda quer ver os esportes eletrônicos entrarem de vez no circuito de medalhas.

Questionada pelo Canaltech sobre o futuro da parceria com o COI para competições de eSports durante o período olímpico, a Intel revelou estar disposta a continuar investindo em competições como o Intel World Open.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“Somos grandes apoiadores do eSports, portanto, se pudermos compartilhar essa experiência única com novos públicos que estarão nas Olimpíadas, será muito animador para nós”, declarou a empresa.

No entanto, o futuro da parceria ainda é incerto. “Embora esperemos dar sequência ao grande momento do Intel World Open deste ano para o futuro, como é um assunto que diz respeito aos Jogos Olímpicos, não podemos falar em nome do COI”, completou a Intel.

 Street Fighter 5 é um dos jogos que participaram do Open World (Imagem: Divulgação/Capcom)

O Intel World Open ocorreu de 1° de junho a 21 de julho, a dois dias do começo das Olimpíadas de 2020. Apesar de não fazer parte oficialmente do circuito, a presença do COI na competição reacendeu a discussão sobre a inclusão dos esportes eletrônicos.

Mesmo que a parceria com a Intel continue, o COI não deve sacramentar a adesão dos eSports em Paris 2024. A tendência é que o comitê continue apostando em eventos satélites, como o Intel World Open, para avaliar os próximos passos.

Em abril deste ano, por exemplo, o COI criou o Olympic Virtual Series, que ocorreu entre maio e junho, com competições de simuladores de esportes tradicionais.

O presidente do COI, Thomas Bach, chegou declarar em 2017 que a inclusão dos eSports ocorreria “em breve”. Mas, na avaliação do comitê, ainda é prematuro discutir a adição dos jogos durante as Olimpíadas.

Thomas Bach, presidente do COI (Imagem: Reprodução/COI/Greg Martin)

O programa olímpico para Paris, divulgado em dezembro de 2020, não faz menção aos jogos eletrônicos, o que deve confirmar o desfalque.

A expectativa é que o COI faça novos testes para competições de esportes eletrônicos nos Jogos de 2028, em Los Angeles.

Free Fire, Overwatch, LOL e CS de fora

Mesmo que a adição dos esportes eletrônicos acelere nos próximos anos, nem todos os jogos devem compor modalidades olímpicas.

Segundo o COI, alguns jogos que simulam violência e humanos sendo mortos, não são compatíveis com “valores olímpicos” e devem ficar de fora das discussões, inicialmente.

Regras do COI podem deixar LoL fora das Olimpíadas (Imagem: Divulgação/League of Legends)

A incompatibilidade apontada pode afastar grandes títulos do cenário de competições, como League of Legends e Counter-Strike dos primeiros passos dos eSports rumo às Olimpíadas.

Regulamentação dos esportes eletrônicos

A indústria de games como um todo deve gerar US$ 180 bilhões, cerca de R$ 950 bilhões na cotação atual do dólar, somente em 2021. Os números superam em até sete vezes a receita gerada anualmente pelas indústrias do cinema e da música, de acordo com um estudo da empresa NewZoo.

Antes de chegar a um pódio olímpico, o mercado bilionário do esporte eletrônico ainda vai precisar vencer outros desafios.

No Brasil, as competições travam uma batalha pela regulamentação da atividade de seus jogadores. Com a discussão trava em Brasília há pelo menos 4 anos, o Canaltech revelou que 11 estados brasileiros iniciaram uma discussão para criar leis que regulamentem os esportes eletrônicos por aqui.

Fonte: Istoe, Época Negócios

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Please follow and like us: