Mais uma liderança da Blizzard vai deixar a desenvolvedora – Olhar Digital

J Allen Brack e Jesse Mschuk já pediram demissão da desenvolvedora e agora a Blizzard acrescenta outro nome à lista. Uma das lideranças da empresa, Jen Oneal, também vai deixar a companhia no final deste ano. A Activision Blizzard é investigada pelo estado da Califórnia, alvo de processos de assédio sexual e denúncias de abusos generalizados no local de trabalho.

Jen Oneal ficou três meses como colíder da Blizzard, ao lado de Mike Ybarra. Ela anunciou a saída em uma carta aberta publicada na página oficial de notícias da empresa, passando suas funções para Ybarra. No comunicado, Oneal acrescentou que a decisão de deixar a desenvolvedora não tem a ver com os processos judiciais ou acusações de cultura de trabalho tóxica no local.

publicidade

Leia mais:

Antes, ela havia trabalhado como chefe do estúdio Vicarious Visions, antes de ser absorvida pela Activision Blizzard no começo de 2021. Nesses últimos meses na empresa, ela irá supervisionar a doação de US$ 1 milhão para a organização sem fins lucrativos Women in Games International, da qual integra o conselho. A ideia é promover a igualdade e diversidade na indústria de jogos através de programas de construção de habilidades e mentoria.

Funcionários da Activision Blizzard criticam postura da empresa sobre processo de assédio. Imagem: Shutterstock.com
Após dois anos de investigações, a Activision Blizzard se tornou alvo de um processo por assédio e discriminação. Imagem: Shutterstock.com

No fim da carta, a colíder agradeceu aos integrantes da Blizzard por “defender a causa da igualdade” e à comunidade pelo apoio aos jogos da desenvolvedora e publicadora. Sem Jen Oneal, agora a empresa precisa buscar mais uma pessoa para ocupar mais outra função de alto nível. Ainda mais depois dos adiamentos de ‘Diablo 4‘ e ‘Overwatch 2’.

Em julho de 2021, a Blizzard se tornou alvo de um processo pelo Estado da Califórnia que acusa a companhia de várias violações da Lei de Trabalho e Moradia da Califórnia, por promover uma cultura de assédio sexual e discriminação. Foram dois anos de investigação na empresa. Os investigadores relataram que as mulheres eram regularmente assediadas por colegas homens, recebiam menos e eram preteridas em promoções.

Via: GameRant

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.

Todo mês, obtenha itens exclusivos, jogos grátis, uma assinatura gratuita na Twitch.tv e muito mais com sua assinatura Prime. Clique aqui para um teste gratuito de 30 dias.

Please follow and like us: